Trabalhador não é culpado da crise e não pode pagar por isso

Trabalhador não é culpado da crise e não pode pagar por isso

O Brasil vem passando nos últimos anos por um processo econômico complicado e que vem sendo divulgado em todos os telejornais diariamente. Uma crise financeira assolou o país que passa por recessão e faz com que a maioria dos brasileiros paguem por isso.

E por essas dificuldades econômicas, muitas desculpas para o problema são divulgadas. Os que são contra o governo, culpam a gestão atual em que Dilma Roussef está à frente. Outros culpam processos anteriores e administrações mal geridas há anos que fez com que acontecesse crise de hoje.

O fato é que quem acaba pagando por isso é a classe trabalhadora. Muitos impostos aumentaram, muitas pessoas ficaram desempregadas e, aqueles que ainda estão com a carteira assinada são ameaçados de demissão todos os dias além de escutarem que não terão aumentos por conta a crise economia.

O trabalhador não é culpado pela crise e não merece pagar por isso, mas pagam. Em publicação feita pelo presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores das Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins), Arthur Bueno de Camargo disse que quem mais sente a crise é a classe trabalhadora. "O governo federal, em uma ponta, retira direitos dos trabalhadores, sobe os impostos, reajusta o preço do gás de cozinha em 15%, obriga o consumidor a gastar menos energia e a pagar mais. Por sua vez, os Estados e municípios vão na mesma direção, aumentando impostos, obrigando o consumidor a consumir menos água e pagar mais" ressaltou.

Segundo ele, além do trabalhador sentir no bolso, sente também dentro da empresa em que trabalha. "Muitas vezes têm empresas, com administração irresponsável, que se utilizam da crise para chantagear o trabalhador e deixando, muitas vezes, de investir em segurança e dar manutenção adequada na prevenção de acidentes e doenças do trabalho", comenta presidente da CNTA.

Mas os trabalhadores não podem estregar os pontos. É necessário ser firme e continuar em busca de melhores condições de vida e trabalho. Para isso, conta com o apoio das entidades de trabalhadores que apoiam e buscam todos os dias por mais benefícios para a classe.

 

Fonte: STIAG