Emprego em Goiás ganha mais força no interior

Participação na geração de empregos do interior ultrapassa a capital. Cerca de 75% das vagas oferecidas pelo Sine no ano são para fora de Goiânia

As cidades do interior foram responsáveis por ofertar sete em cada dez vagas de emprego em Goiás no acumulado do ano até maio de 2014. Segundo dados do Sine, foi oferecido um total de 30.246 vagas no Estado, sendo 22.944 delas direcionadas para o interior - o equivalente a 75,9%.

Para se ter uma ideia, nesse período Goiânia ofertou 7.302 colocações, chegando a apenas 24,1% das vagas. E a cidade campeã em captação de empregos no interior é Anápolis, com 3.907 (12,9%), seguida de Rio Verde, 3.058 (10,1%), Catalão, 2.110 (6,97%) e Jataí (5,9%).

Moradora de Trindade, Mara Rúbia Mendes integra a estatística. Ela estava cansada das viagens diárias para o emprego na capital. E, há dois anos, passou a buscar novas oportunidades em sua cidade. Encontrou emprego na Flávio's, rede calçadista que abriu filial na cidade no início de maio.

"Hoje, ganho o mesmo que se paga na capital, mas tenho o conforto de estar próximo de casa. Não precisa pegar trânsito para me deslocar diariamente do trabalho para casa e nem fazer refeições fora", comemora.

De acordo com o secretário de Cidadania e Trabalho, Francisco de Assis Peixoto, as "oportunidades que chegam ao interior evitam a migração para a capital". Ele destaca que, além da criação de empregos, o Estado também tem se sobressaído na qualificação profissional. "O governo tem feito parcerias para qualificar o profissional, juntamente com o Sistema S, o Pronatec e a Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sectec), para quando a empresa precisar, o trabalhador já esteja preparado e se enquadre nos critérios", explica Peixoto.

Setores

O setor econômico que mais se destaca na captação de vagas em Goiás é a agropecuária, seguido da indústria, comércio, serviços e construção civil. O economista Wellington Rodrigues chama a atenção para o fato de a indústria figurar entre as primeiras colocações por causa dos incentivos fiscais do governo. "Goiás tem uma tradição no agronegócio, mas tem se destacado também na atração de indústrias. E os incentivos fiscais sempre foram fundamentais para atrair mais empresas no Estado", diz.

Wellington Rodrigues lembra que o Decreto 8.127, de 25 de março de 2014, prorroga o prazo para as empresas usufruírem de incentivos fiscais, de 2020 para 2040, com o objetivo de atrair ainda mais indústrias para o Estado. 

Explicação

De acordo com o economista, Anápolis se destaca como a cidade do interior que mais oferece vagas em razão da localização e da infraestrutura. "É o marco zero da logística do País. O que vem do Sudeste para o Norte, ou Nordeste, passa por Anápolis e vice-versa", conta. "A cidade tem um distrito industrial muito bem desenvolvido, tem o Porto Seco e o maior polo farmacêutico da América do Sul. Tudo isso contribui para atrair ainda mais indústrias para a região".

Para ele, Goiânia tem perdido espaço, principalmente na atração de indústrias. "Goiânia tem criado mais na área de serviços e perdido muito com a indústria, que tem preferido outros municípios que têm se destacado".

 

Fonte: O Hoje