Preço dos alimentos recua em Goiânia

Índice fecha o mês em 0,15%, bem abaixo do 0,79% registrado em maio

Ao voltar das compras do supermercado a dona de casa Simone Inocêncio Teixeira percebeu que os preços dos alimentos estavam mais em conta que nos meses anteriores. O fato é constatado pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Goiânia divulgado ontem. Segundo o Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos da Secretaria de Gestão e Planejamento (IMB/Segplan), a inflação do mês de junho teve recuo de 0,15%, bem abaixo do índice de 0,79% registrado em maio.

Com isto, o acumulado no ano foi para 4,28%, acima da taxa de 3,55% relativa a igual período de 2013. Já em junho de 2013, a taxa havia sido de -0,09%. Além disso, dos nove grupos que compõem o IPC - Goiânia, cinco apresentaram acréscimos e quatro verificaram decréscimos.

De acordo com os pesquisadores do IMB/Segplan, a queda do IPC na capital se deu em função principalmente da redução dos preços dos alimentos, levando o grupo da alimentação a ter a maior queda de preços entre os grupos de despesa pesquisados (o índice caiu de 0,48% em maio para -1,00% em junho).

"Eu que vou às compras regularmente e não faço aquela compra para o mês inteiro, percebi que os preços de alguns produtos caíram no mês passado. No supermercado que eu costumo ir, alguns itens como o feijão e óleo, por exemplo, caíram. Agora o arroz não", relata Simone Inocêncio Teixeira.

Conforme os dados do IPC, vários alimentos consumidos em casa se destacaram pela queda de preços, sendo os principais o feijão carioca (recuo de -8,13%), tomate (-18,32%), batata inglesa (-14,16%), laranja pera (-14,09%), óleo de soja (-3,46%) e açúcar (-2,61%). Com isso, o subgrupo de alimentação no domicílio apresentou queda de 1,70%. Já a alimentação fora do domicílio registrou elevação de 0,91%.

Já as despesas com vestuário (3,16%) e artigos residenciais (1,73%) tiveram forte influência na manutenção positiva do índice no período. Os maiores reajustes foram verificados nos itens roupas (2,87%) e aparelhos de TV, som e informática (4,53%).

 

Cesta básica

Com a redução nos preços dos alimentos, o custo da cesta básica medido na capital pelo IMB/Segplan também apresentou em junho forte queda (-2,54%), fechando no valor de R$ 253,71 contra R$ 260,31 apurados em maio. No ano, os alimentos da cesta básica acumulam alta de 4,01%, e 1,20% nos últimos 12 meses.

Dentre os 12 itens que compõem a cesta, as maiores baixas de preços em relação a maio se deram nas frutas (-8,25%), feijão (-5,66%), legumes/tubérculos (-4,86%), óleo (-3,46%) e açúcar (-2,61%).

 

 

Fonte: G1