Indústria goiana tem 2ª maior alta do País

Produção industrial em Goiás avançou 2,1% em maio, com expansão pelo quarto mês seguido

A produção industrial goiana vai retomando o crescimento ao longo dos meses em 2014. A indústria avançou 2,1% em maio na comparação com abril, na série livre dos efeitos sazonais, e foi o segundo Estado da federação que mais produziu no período. Além disso, Goiás registrou expansão pelo quarto mês seguido, somando 10,2%.

Os dados são da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física Regional (PIM/PF Regional), divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Goiás foi um dos sete Estados da federação que conseguiram manter o índice positivo em maio, ficando atrás apenas do Pará (4,2%). Na sequência, Ceará (1,2%), Paraná (1,1%), São Paulo (1,0%), Minas Gerais (0,5%) e Santa Catarina (0,3%) completaram o conjunto de locais com taxas positivas no mês.

Já na comparação com maio de 2013, a produção industrial goiana cresceu 4,2%, puxado principalmente pelas indústrias extrativas (14,6%), produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (7,0%) e produtos alimentícios (6,4%).

Mas, segundo o presidente do Sindicato das Indústrias Extrativistas do Estado de Goiás (Siieg), Domingos Sávio Gomes de Oliveira, a situação não é tão favorável para o setor como diz o IBGE.

"Depois da crise econômica de 2008 teve uma estagnação do setor, mas não todo, porque abrange muito. E parte da recuperação se deu a partir do ano passado. Mas, mesmo assim, a maioria das mineradoras de ouro, cobre e níquel ainda está com dificuldade", diz. "Algumas estão praticamente vendendo o almoço para comprar a janta", relata o presidente.

De acordo com Domingos Sávio, o crescimento só não é maior porque o preço das commodities reduziu. "O preço do ouro, por exemplo, caiu muito", revela. Para ele, outro ponto que barra o crescimento no Estado é a infraestrutura. "Parte da infraestrutura, principalmente do setor energético, tem dificultado a expansão do segmento", conta.

 

Fonte: O Hoje