Demora e superlotação nos ônibus permanecem

Anunciadas em abril, melhorias no transporte coletivo ainda estão sendo implantadas. Usuários se queixam

Os usuários do transporte coletivo estão contando com um novo serviço, a Central Tá na mão, espécie de achados e perdidos instalada no Terminal Bandeiras. Todos os produtos encontrados nos ônibus e terminais serão direcionados ao local, onde ficarão disponíveis por 30 dias.

Mas o principal benefício que os passageiros esperam, que é a melhoria no sistema, ainda não aconteceu, argumentam os usuários. "Continua o mesmo serviço. Os ônibus estão demorando da mesma forma que antes", diz a esteticista Fernanda Sousa Reis, que ontem aguardava o embarque em um dos pontos do Terminal Bandeiras.

Fernanda reconhece a melhoria na estrutura dos terminais, mas afirma que os ônibus continuam trafegando lotados e sempre com atraso. "Já fizeram várias promessas e nada aconteceu até agora. Já não acredito em mais nada", diz.

 

Superlotação

Quem também tem queixas do serviço é a doméstica Maria Aparecida Viana, que diariamente usa oito ônibus para sair do Conjunto Maísa, em Trindade, para ir até o Conjunto Cruzeiro do Sul, em Aparecida de Goiânia. "Está a mesma coisa de antes. É demora e ônibus lotados. A gente anda parecendo lata de sardinha. Nada vai melhorar; acho até que a tendência é só piorar", pontua.

E as reclamações dos usuários não são isoladas. Enquanto a reportagem do jornal O?HOJE conversava com as pessoas, o que não faltou foi usuário intervindo na conversa para relatar as queixas de sempre: ônibus lotado e atraso nas planilhas.

Em abril, quando foi anunciado o reajuste da passagem de R$2,70 para R$2,80 e mais um aporte do poder público para pagar as gratuidades do sistema, um pacto com medidas de melhorias foi anunciado. Entre elas estavam o incremento de 150 ônibus e mais de 2 mil viagens no sistema, aquisição de 300 novos veículos para renovação da frota, contratação de organizadores de fila e instalação de 6 mil câmeras de segurança dentro dos veículos.

As melhorias já deveriam estar implantadas, mas, segundo o Sindicato das Empresas do Transporte Coletivo (Setransp), ainda estão em andamento. Segundo o gerente de Relacionamento da entidade, Marcos Villas Boas, os organizadores de fila já estão em atuação. Com relação ao incremento de 2 mil viagens e renovação da frota, ele afirma que 60% do previsto já foi implantado, com a aquisição de 95 ônibus.

 

Novas viagens

Segundo a Companhia Metropolitana de Transporte Coletivo (CMTC), desde maio, 1.069 viagens diárias foram acrescentadas em 208 linhas. Outras mil viagens começaram a ser incluídas nas linhas de ônibus no dia 4 de junho, quando 155 novas viagens diárias foram incluídas em 21 linhas.

No dia 11 de junho, 289 novas viagens foram acrescentadas em 36 linhas. Mas outras viagens previstas para julho não foram implantadas, devido aos feriados, folgas pelos jogos da Copa do Mundo e período de férias.

Duas últimas etapas de incremento foram adiadas para agosto. No próximo mês, 556 novas viagens serão acrescentadas ao sistema.

Com relação à aquisição dos 300 ônibus e a instalação das 6 mil câmeras, a CMTC diz que esses benefícios já estão em andamento e dentro do cronograma. Villas Boas sublinha que essa parte do pacto deve ser finalizada até setembro.

Para outubro está previsto o retorno do Programa Ganha Tempo e, para janeiro de 2015, as empresas também devem assumir a responsabilidade da manutenção dos pontos de ônibus.

 

Central de Achados e perdidos  

O Tá na mão, segundo a Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), é mais um serviço que estava no pacote de medidas de benfeitorias para o transporte coletivo.

A partir de agora, quem encontrar objetos perdidos poderá entregá-los a um dos 14 encarregados de terminais geridos pela RMTC. O material recolhido será encaminhado à Central Tá na mão, onde cada item será cadastrado em um banco de dados e ficará disponível por 30 dias.

Os cinco terminais ao longo do Eixo Anhanguera não integram o projeto. O serviço estava funcionando de forma experimental desde abril e, neste período, foram cadastrados mais de 1,4 mil itens.

 

Consultas pelo site

Destes, 120 foram devolvidos aos proprietários. Segundo a gerente de terminais da RMTC, Wilma Avelar, a proposta é oferecer mais comodidade, rapidez e segurança aos usuários do transporte coletivo. "É uma demanda dos passageiros que, no passado recente, perdiam documentos e objetos e não sabiam onde buscar. Agora eles têm", frisa.

Os usuários que perderem documentos ou objetos com identificação poderão consultar se o material está na central pelo site da RMTC (www.rmtcgoiania.com.br) ou pelo telefone 0800.648 2222.

Se, no período de 30 dias, os proprietários não aparecerem, os documentos pessoais serão encaminhados aos Correios e os objetos ou valores encontrados serão destinados à doação para instituições de caridade.

Já os materiais que não têm identificação, o proprietário deverá se dirigir pessoalmente à central Tá na mão. Nesses casos, deverá descrever alguma característica do objeto. A Central foi instalada no Terminal das Bandeiras e funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 13h e das 15 às 18h; e ao sábados das 8 às 12h.

 

Fonte: O Hoje