Maioria não planeja aposentadoria

Especialistas orientam sobre como se preparar, revendo as despesas e formando uma boa reserva financeira

Chegou aos 40 anos e não começou a pensar em aposentadoria? Não se desespere: ainda dá tempo para formar uma boa reserva financeira. Saiba que não está sozinho. "É comum a pessoa chegar a essa faixa etária e só então pensar em aposentadoria. É, em geral, um momento financeiro favorável para fazer aportes maiores", diz Marcus Marinho, gerente de produtos da Mongeral Aegon. "Antes tarde do que mais tarde", resume Fabiano Lima, diretor técnico de vida e previdência da SulAmérica.

É importante avaliar seu orçamento e suas dívidas. Antecipar a quitação do financiamento imobiliário para reduzir gastos fixos quando parar de trabalhar é uma recomendação de José Vignoli, economista do Meu Bolso Feliz, portal de educação financeira do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil ). "Revendo as despesas atuais, você consegue projetar quanto precisará ao se aposentar e fica mais fácil ajustar os gastos para que possa arcar com eles quando parar de trabalhar", diz.

"A acumulação de recursos deve almejar valor que seja 80% da renda da ativa, contando com o benefício do INSS", afirma Carolina Wanderley, consultora sênior de previdência da Mercer. Aliás, não desprezar a previdência oficial é recomendação geral. Embora não tão alta, ela é paga enquanto o beneficiário viver, não importando o prazo. E, se nunca contribuiu ao INSS, aos 40 anos dá tempo - é necessário contribuir por 15 anos para garantir a renda.

PREVIDÊNCIA OFICIAL

"Não existe previdência melhor que a oficial", defende Zélia Pierdoná, professora da Universidade Mackenzie e procuradora da República. Ela exemplifica: uma pessoa de 50 anos que comece a contribuir sobre o teto do INSS, de R$ 4.390,24 atualmente, pode se aposentar após 15 anos, recebendo cerca de 70% desse valor, pelo tempo que viver. "Nenhuma previdência privada faz isso."

Por quanto tempo a pessoa pretende continuar trabalhando é a próxima variável a ser analisada, diz Lima, da SulAmérica. Feitas as contas, sabendo quanto você pode guardar por mês e qual montante precisará acumular, é hora de começar a guardar.

Para essa faixa etária, o diretor da SulAmérica avalia ser melhor um perfil de investimento menos agressivo -ou seja, com maior foco em aplicações de renda fixa. "O investidor não terá tanto tempo para recuperar perdas da renda variável (como ações)."

GUARDAR, SEMPRE

O mais importante é ter disciplina e guardar sempre. Ganhos extras como 13º salário, PLR (participação nos lucros e resultados), bônus e férias devem, quando possível, ir para o bolo da aposentadoria.

Tais aportes extras de maior valor fazem bastante diferença no final, segundo Miguel Leôncio Pereira, professor da Fuipecafi, pois os juros vão incindir sobre um montante maior de recursos. Uma coisa é certa: nunca é tarde para se preparar para a aposentadoria, mas, quanto mais cedo, melhor.

 

Fonte: O Popular