Presença de negros e mulheres nas empresas aumenta, mas salários ainda são pelo menos um terço menores

Companhias promovem ações de inclusão para ampliar a participação de diversos grupos

A diversidade de raças, que é uma característica do brasileiro, ainda é pouco vista no mercado de trabalho, mesmo com as cotas raciais (que existem há mais de uma década). O mesmo ocorre com a participação feminina nas empresas. As mulheres são maioria no Brasil, mas têm uma presença menor do que a dos homens nas corporações.

O perfil social, racial e de gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas, publicado pelo Ethos-Ibope, mostra que, entre 2003 e 2010, a participação de negros, nos quadros funcionais, aumentou de 23,4% para 31,1%. Nos cargos de supervisão, a evolução foi de 13,5% para 25,6%.

No âmbito gerencial, a participação subiu de 8,8% para 13,2%. Entre os executivos, a proporção variou de 2,6% para 5,3%. Mas, no que tange aos salários, um homem negro ganha 30% menos do que um branco para executar as mesmas tarefas.

 

Fonte: R7