Como combater a desmotivação

Os primeiros sintomas da desmotivação são a falta de comprometimento com horários e prazos, além de faltas constantes

Quando o domingo passa a ser um sacrifício e só de imaginar uma semana inteira de trabalho pela frente gera um desconforto desumano, são situações que podem estar relacionados à desmotivação no ambiente de trabalho. Se por um lado esse aspecto emperra o crescimento profissional, a empresa sofre com a queda de produtividade. Uma das dicas é ser mais proativo, estar aberto para encarar desafios e estudar um planejamento de carreira.

Os primeiros sintomas da desmotivação são a falta de comprometimento com horários e prazos, além de faltas constantes. "É um profissional que faz somente aquilo que lhe é delegado. Mesmo que seus superiores e colegas de trabalho percebam que ele tenha mais potencial, ele não faz nada além de sua capacidade", afirma a consultora de recursos humanos, Lucélia de Carvalho Borges.

Inconscientemente, explica, o profissional autossabota. O desânimo reflete na qualidade de vida e gera problemas emocionais. É comum, resmungar constantemente e aos quatro ventos.

Lucélia afirma que o motivo mais comum do desânimo é desempenhar uma função na qual não se identifica. Outras vezes, depois de tanto tempo no mesmo ambiente de trabalho, o profissional se sente desalinhado com a missão da empresa.

"Às vezes, o profissional está vivendo um momento em que ele precisa ousar mais." Lucélia lembra que o quadro é mais comum em empresas que não têm definido um plano de cargos e salários.

A psicóloga Viviane Kazmirzczak ressalta que existem profissionais despreparados para exercer seus cargos e funções e, por outro lado, profissionais tecnicamente bem preparados ocupando cargos aquém de suas habilidades.

Para ela, além da desmotivação, essa inadequação na composição de uma equipe pode ser comparada a uma bomba-relógio. "Em qualquer momento pode haver desentendimento por algo simples", afirma Viviane.

A psicóloga explica que o profissional desmotivado deve tentar estabelecer uma boa comunicação com a equipe e se envolver ao máximo nos objetivos da empresa. Estabelecer metas e fazer uma autoavaliação são sempre atitudes bem-vindas.

Mas se não conseguir recuperar o ânimo, talvez seja hora de mudar de emprego. É importante não deixar a avaliação da chefia despencar em relação ao seu trabalho para tomar essa atitude. Ao contrário do que muitos pensam, a consultora de recursos humanos comenta que o momento ideal para buscar um novo emprego é enquanto está trabalhando em uma empresa. "É preciso fazer um bom planejamento de carreira e saber identificar oportunidades", finaliza Lucélia.

 

Fonte: O Popular