Consumidores esperam inflação em 7,9%, no maior nível desde 2005

As taxas entre 7% e 8% passaram a ser as mais citadas

O Indicador de Expectativa de Inflação dos Consumidores, da Fundação Getulio Vargas, avançou para 7,9% em fevereiro, após registrar 7,2% em janeiro e 7,4% em dezembro passado.

Com a forte alta, o indicador deixa o intervalo entre 7,0% e 7,5% em que se situava desde abril de 2013 e atinge o segundo maior valor da série, perdendo apenas para os 8,1% registrados em setembro de 2005, na primeira edição da pesquisa.

O economista da FGV/IBRE Pedro Costa Ferreira afirma que, após dois anos em um patamar elevado (média de 7,2%), mas relativamente estável, a mediana da expectativa da inflação teve uma variação positiva significativa no mês de fevereiro, ao passar para 7,9%.

- Parece que os consumidores estão sentindo a presente elevação dos preços e criando expectativas pessimistas para o futuro.

Entre janeiro e fevereiro, houve um aumento expressivo da frequência de previsões de inflação superiores a 7%, de 45,4% para 61,0% do total. As taxas entre 7% e 8% passaram a ser as mais citadas (24,9% do total), ultrapassando a frequência de previsões na faixa entre 6,5% e 7% (22,8% do total).

 

Fonte: R7