Queda nas vendas baixa preços de ovos de chocolate

As vendas de ovos de chocolate na semana da Páscoa caíram 4,93%

Para evitar estoques de produtos de chocolate, os comerciantes estão realizando diversas promoções e esticando o prazo de pagamento.

O POPULAR já havia constatado na última sexta-feira campanhas promocionais em supermercados e lojas especializadas. Com o objetivo de atrair os consumidores antes da páscoa, os descontos observados foram de até 40% nos produtos.

Descontos

Ontem, a reportagem verificou que, em sua maioria, os descontos continuavam na mesma margem (veja quadro). Porém, em alguns produtos os descontos ultrapassavam 50% e outros até chegavam a 70%. Esse foi o caso de alguns ovos de Páscoa com brinquedos, que custavam até R$ 42,99 e estavam sendo vendidos por R$ 12,99 ontem, um dia após a comemoração da Páscoa.

Os consumidores que estavam assustados com os preços altos dos ovos de chocolate e comprando menos, aguardaram as promoções para presentear e conseguiram economizar.

"Eu sabia que os preços iriam baixar, porque no sábado havia muitos ovos sobrando. Por isso deixei para comprar os presentes para meus irmãos depois da Páscoa", afirma a auxiliar de produção, Thais Costa, 22.

Sirley de Carvalho da Silva, 40, também usou a mesma estratégia e aproveitou o momento para mimar os netos. "Os preços estavam muito elevados. Preferi esperar, porque, além de economizar R$ 40, vou poder levar para cada um dos três netos dois ovos, sendo um com brinquedo", comemorou.

Fatores

Os preços dos ovos de Páscoa sofreram um aumento médio entre 11,65% e 85%, este ano. E para promotores de vendas de diferentes marcas entrevistados pelo POPULAR o preço foi o fator determinante para que o consumidor optasse por outras opções ou não comprassem. Segundo eles, a tendência da realização de promoções já era esperada.

De acordo com a economista chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, devido ao baixo crescimento da atividade econômica do País puxada pela alta da inflação, elevação das taxas de juros e a baixa confiança do consumidor, a queda nas vendas confirmou o que o comércio esperava.

"A elevação recente da inflação corrói o poder de compra do consumidor. Hoje o brasileiro não consegue comprar as mesmas coisas, com o valor gasto no mês passado, por exemplo. Isso impacta nas vendas. Reflexo disso foi o movimento atípico de promoções antes mesmo da Páscoa", frisa.

Perspectivas

Marcela explica que a páscoa representa a primeira festa do ano para o comércio e a queda nas vendas é um sinal de influência na atividade para as próximas datas comemorativas de todo o ano de 2015.

"Não há nenhum fator que nos autorize a imaginar que as coisas melhorem daqui para frente. Estamos vivenciando uma no difícil, e que exige planejamento dos comerciantes, que devem se adequar para as próximas datas. As pessoas também precisam fazer um planejamento de consumo e direcionar as compras com pagamentos a vista", diz a economista chefe do SPC Brasil.

 

Fonte: O Popular