Dinheiro falso gera prejuízos

Em Goiás, de janeiro a março, quase 3 mil notas foram apreendidas. Cédulas de R$ 50 e R$ 100 são as mais falsifi

A falsificação de cédulas tem causado grandes prejuízos aos estabelecimentos comerciais e à economia do País como um todo. De acordo com o Banco Central (BC), apenas este ano (de janeiro a março), em Goiás, foram apreendidas 2.959 notas falsas, sendo os valores de R$ 50 e R$ 100 os mais falsificados, um prejuízo demais de R$ 245 mil. No ano passado, o total de cédulas falsas apreendidas no estado foi de 27.681, que representa o valor R$. Segundo o BC, em 2015, o Estado de São Paulo - seguido do Rio de Janeiro - teve o maior número de notas falsas apreendidas, mais de 20 mil cédulas.
Para o comerciante Gilmar Corrêa Neves, que tem sua loja há mais de 20 anos, em Campinas, e que aprendeu a reconhecer cédulas falsas ao longo do tempo, a falsificação de dinheiro representa a descontinuidade do comércio, gerando prejuízos em cascata. "Sempre que um comerciante recebe uma nota falsa, fica com a nota como prejuízo, já que não pode fazer nada com ela. Com o dinheiro falso, não consigo pagar os fornecedores nem comprar novas mercadorias", explica.
Conforme especialistas da área do Direito, a falsificação e o repasse de dinheiro falso são crimes contra a ordem financeira, considerados de grau médio porque não envolvem ameaça e violência, no entanto, trazem prejuízos imensos à ordem financeira e à economia popular. Conforme a legislação, a pessoa que recebe uma nota sem ter conhecimento de que ela não é verdadeira, não comete delito, sendo na verdade vítima. Mas a infração acontece quando a pessoa toma conhecimento da falsificação e faz o repasse para evitar o prejuízo.
De acordo com o BC, a pena para quem comete o crime de falsificação é de 3 a 12 anos de prisão e, quem tentar colocar uma cédula falsa em circulação depois de tomar conhecimento de sua falsidade, mesmo que a tenha recebido de boa-fé, pode ser condenado a uma pena de 6 meses a 2 anos de detenção. A instituição destaca que o cidadão que suspeitar ter recebido dinheiro falsificado deve apresentar a cédula em uma agência bancária, que se encarregará de encaminhá-la para análise pelo Banco Central.
O comerciante Gilmar destaca que nos meses de junho e julho - período que as vendas estão mais aquecidas - há um aumento de notas falsas no comércio, mas, para quem tem mais experiência, é possível verificar as diferenças entre uma nota falsa e uma verdadeira. O filho do comerciante, Bruno Corrêa Neves - que costuma tomar conta do caixa da loja - explica que há técnicas e produtos que auxiliam na verificação da autenticidade do dinheiro. "Quando se pega na nota e percebe algo diferente, olhamos mais perto para saber se é verdadeira ou falsa, já que há diferenças no papel, que é mais fino que em uma cédula verdadeira", conta. Bruno ainda destaca que existe uma lanterna "que mostra as marcas d'água em relevo forte", que confirma a falsificação da nota.

Caixa Eletrônico
Muitas vezes, o próprio caixa eletrônico emite notas falsificadas, sendo assim, o BC informa que o cliente deve se encaminhar ao gerente da agência para pedir providências de pronta substituição. Se não obtiver solução satisfatória com o gerente do banco, o cidadão pode procurar uma delegacia policial mais próxima para registrar uma possível ocorrência. A instituição aconselha que após observar os elementos de segurança ou comparar com outra cédula legítima, o cidadão pode recusar o dinheiro.
No entanto, o comerciante Gilmar Neves lembra que quando recebeu uma nota falsa de um caixa eletrônico e foi a uma agência bancária o gerente se recusou. "Quando peguei uma nota falsa no banco e fui falar com eles para trocarem, disseram que eu não havia pegado a cédula naquela agência. Acabei ficando com o prejuízo, já que não poderia passar a nota para frente", conta.
Para idenfificar quando uma cédula é falsa, o BC explica que a pessoa deve verificar os principais elementos de segurança. Nas notas da Primeira Família do Real é necessário observar a marca d'água, a imagem latente e o registro coincidente, além do relevo. Nas cédulas da Segunda Família do Real, deve-se verificar a marca d'água, o número escondido, a faixa holográfica (nas notas de R$ 50 e R$ 100) e o número que muda de cor (nas notas de R$ 10 e R$ 20) e o alto-relevo também.

saiba mais

Passos para identificar uma cédula falsa (Primeira Linha do Real)

1 - Marca-d'Água
u Segure a nota contra a luz e veja aparecer uma figura
u Nas notas de R$ 5 e R$ 10, você vê a Bandeira Nacional
u Na de R$ 2, a tartaruga e o número 2. Na de R$ 20, o mico-leão-dourado e o número 20. E nas de R$ 50 e R$100, a efígie da República

2 - Imagem Latente
u Coloque a nota deitada, com o canto esquerdo voltado para você e veja aparecer as letras BC, que estavam escondidas
u Nas notas de R$ 2 e R$ 20, a nota deve ficar deitada de frente para você

3 - Alto-Relevo
u Passe o dedo sobre algumas áreas da nota e sinta o alto-relevo

4 - Faixa Holográfica
u Só está presente nas notas de R$ 20. Ao movimentar a nota, aparecem na faixa brilhante as figuras do mico-leão-dourado e o número 20, em três tamanhos

5 - Registro Coincidente
u Segure a nota em direção à luz e você verá que o desenho das Armas Nacionais aparece completo
u As partes impressas no verso casam certinho com as da frente

Passos para identificar uma cédula falsa (Segunda Linha do Real)

1 - Marca-d'Água
u Coloque a nota contra a luz e veja, na área clara, a figura do animal e o número do valor da nota em tons que variam do claro ao escuro

2 - Alto-Relevo
u Pelo tato, você sente o relevo em algumas áreas da nota. Por exemplo: na frente, na legenda "REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL", nas laterais e nos números indicativos do valor (nas notas de R$ 10 e R$ 20, somente no número inferior esquerdo). Nas notas de R$ 20, R$ 50 e R$100, você pode sentir o relevo também no verso: na legenda "BANCO CENTRAL DO BRASIL", no animal e no número indicativo do valor.

3 - Número Escondido
u Ao colocar a nota na altura dos olhos, na posição horizontal, em um lugar com bastante luz, você vê o valor da nota aparecer nas áreas indicadas

4 - Fio de Segurança
u Ao colocar a nota contra a luz, fica visível, na área central, um fio escuro no qual estão escritos o valor da nota e a palavra "REAIS". Repare que o fio só está presente nas notas de R$ 10, R$ 20, R$ 50 e R$ 100

5 - Quebra-Cabeça
u Coloque a nota contra a luz e veja que as partes do desenho do verso completam com as da frente, formando o número do valor da nota

6 - Elementos Fluorescentes
u Sob luz ultravioleta, você vê que:
u O número do valor da nota aparece na frente, na área indicada
u A numeração de série vermelha fica amarela
u Pequenos fios se tornam visíveis na cor lilás

 

Fonte: DM