'Quem está em crise hoje é o mundo. Não somos nós'", diz ministro do Trabalho

Para Manoel Dias, crise não existe e se trata de um discurso da "oposição inconformada"

A crise econômica não existe e se trata apenas de um discurso da "oposição inconformada" que perdeu as eleições para tentar "desestabilizar o governo". Quem faz a avaliação é o ministro do Trabalho, Manoel Dias, que passará esta semana em Genebra para reuniões na Organização Internacional do Trabalho.

"Quem está em crise hoje é o mundo. Não somos nós", garantiu em entrevista ao jornal "O Estado de S. Paulo" e a outro veículo brasileiro. Questionado como explicava a queda do PIB (Produto Interno BrutoB), ele admitiu o impacto da Lava Jato. Mas apenas respondeu: "Não sou economista".

Dias faz questão de culpar a oposição por estar "contaminando a economia" e lembra que essa havia sido a mesma estratégia usada em 1964 - ano do golpe de Estado. "Há um discurso pessimista e que assusta a população. Porque a crise política é que afeta a econômica. As pessoas se assustam e postergam às vezes a compra de um carro, de um apartamento", disse. "Não tem crise. Nós temos dificuldades, ajustes. A crise é política. Tentam criar uma crise política", insistiu.

- O discurso está sendo usado para desestabilizar o governo, mas que atinge a economia e é ruim para a economia. O grande beneficiário de todo esse crescimento que o Brasil teve nesses últimos 20 anos foi o setor econômico. Mas os neoliberais que perderam a eleição não se conformam com a derrota.

 

Fonte: R7