Centrais Sindicais promovem vigília no Palácio do Planalto

Força Sindical e demais Centrais lutam pela fórmula 85/95 como forma de cálculo para as aposentadorias

A Força Sindical e as demais Centrais Sindicais promoverão, hoje e amanhã (dias 16 e 17), a "Vigília no Palácio do Planalto contra o veto à fórmula 85/95", que é alternativa ao Fator Previdenciário. A manifestação começa hoje, a partir das 17 horas. O ponto de encontro será em frente à Catedral Metropolitana de Brasília. De lá, os trabalhadores seguirão em passeata até o Palácio do Planalto, onde farão a vigília até amanhã. Vários parlamentares confirmaram presença no ato.

"Somos contrários ao veto presidencial à fórmula 85/95, uma alternativa ao famigerado Fator Previdenciário, que achata em até 40% o valor das aposentadorias", declara Miguel Torres, presidente da Força Sindical. A fórmula 85/95 foi aprovada no Congresso Nacional e incorporada à Medida Provisória (MP) 664, e depende da sanção da presidenta Dilma Roussef, que tem prazo até amanhã para tomar uma decisão.

"Vamos fazer  um ato ecumênico para ver se conseguimos 'dar uma iluminada' na cabeça da presidenta, que terá de decidir, até o dia 17, prazo final para a definição presidencial, se veta ou sanciona a fórmula", disse o presidente da Força Sindical.

O Fator  Previdenciário é um mecanismo criado em 1999, pelo governo FHC, que achata as aposentadorias em até 40%. O objetivo é levar o trabalhador a se aposentar mais tarde, contribuindo por mais tempo com a Previdência Social se quiser receber integralmente o seu benefício. O Fator prejudicou milhares de trabalhadores, mas não impediu que muitos requeressem suas aposentadorias.

A Força Sindical, por meio do Sindicato Nacional dos Aposentados, sempre defendeu o fim do Fator. A luta foi encampada pela Central, que a colocou como uma das prioritárias entre as bandeiras de luta. "Uma alternativa ao Fator é uma das reivindicações constantes da Pauta Trabalhista, entregue aos candidatos à Presidência da República em 2010", lembra João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário-geral da Força Sindical.

A fórmula 85/95, aprovada pelo Congresso Nacional, é calculada pela soma da idade e do tempo de contribuição para mulheres e homens - 30 anos de contribuição e 55 de idade para as mulheres, e 35 mais 60 para os homens. A grande vantagem desta fórmula é que não entra a expectativa de sobrevida.

"Vamos cobrar da presidenta sensibilidade social para que sancione a fórmula 85/95. Vetá-la é fazer com que a classe trabalhadora continue sendo sacrificada no momento da aposentadoria", ressalta Miguel
 

 

Fonte: Força Sindical