Inflação da terceira idade acumula alta de 9,37% em 12 meses

No segundo trimestre, o IPC-3i ficou em 2,46%.
Transportes e alimentação tiveram recuo nos preço

O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação de preços de indivíduos com mais de 60 anos de idade, ficou em 2,46% no segundo trimestre deste ano. Em 12 meses, o indicador acumula alta de 9,37%. Os números foram divulgados nesta segunda-feira (13) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Na passagem do primeiro trimestre para o segundo trimestre de 2015, a taxa do IPC-3i registrou decréscimo de 1,69 ponto percentual, passando de 4,16% para 2,46%.

A variação do custo de vida dos idosos ficou acima da taxa acumulada pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), 9,15%, no mesmo período.

Esse índice de preços ficou acima da inflação oficial, de 8,89%, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O índice está bem superior ao teto da meta de inflação do Banco Central, que é de 6,5%.

Contribuíram para o decréscimo de preços transportes (4,98% para 0,69%), alimentação (4,31% para 2,34%) e comunicação (0,38% para 0,26%).

Na contramão, avançaram saúde e cuidados pessoais (1,59% para 3,47%), despesas diversas (3,65% para 9,31%), vestuário (-0,64% para 1,98%) e educação, leitura e recreação (2,10% para 2,73%).

Veja a variação de preços de alguns itens:
Tarifa de eletricidade residencial (35,11% para 2,91%)
Gasolina (9,85% para -0,04%)
Frutas (7,36% para -7,27%)
Mensalidade para TV por assinatura (3,74% para 1,89%)
Medicamentos em geral (0,38% para 6,08%)
Jogo lotérico (0,00% para 55,92%)
Roupas femininas (-1,89% para 2,46%)
Passagem aérea (-19,19% para 12,35%)

 

 

Fonte: G1