Governo prevê déficit 57% maior

A nova estimativa aponta para um buraco de R$ 88,9 bilhões nas contas

Diante da deterioração do mercado de trabalho, o governo voltou a elevar a projeção para o déficit da Previdência este ano. A nova estimativa aponta para um buraco de R$ 88,9 bilhões nas contas - um aumento de 57% em relação ao ano passado, bem acima da inflação.

Como proporção do PIB, o déficit corresponde a 1,5%, o maior em oito anos. Em maio, o governo previa que o rombo seria de R$ 72,8 bilhões, ou 1,2% do PIB. A nova estimativa foi explicitada no relatório de programação orçamentária divulgado na quarta-feira.

Retração

As receitas previdenciárias têm sido afetadas pelo encolhimento do emprego formal, em meio à retração da atividade econômica.

No primeiro semestre do ano, foram fechadas 345,4 mil vagas com carteira assinada em todo o País.

O governo reduziu em R$ 14,7 bilhões sua estimativa de arrecadação anunciada em maio, que passou agora para R$ 350 bilhões.

Para conter as despesas previdenciárias, o governo propôs endurecer as regras de acesso aos benefícios, mas as mudanças foram alteradas no Congresso, reduzindo a economia potencial para os cofres públicos.

No mês passado, também foi editada uma medida provisória alterando a fórmula para as aposentadorias por tempo de serviço.

A nova regra, que ainda precisará ser confirmada pelo Congresso, garantirá uma economia de R$ 12,2 bilhões até o final do segundo mandato de Dilma, segundo cálculos do governo. 

 

Fonte: O Popular