Roupas e alimentos ficam mais baratos, e inflação semanal fica estável

A batata-inglesa foi o item que mais aliviou o bolso. Já a conta de luz continua salgada

A inflação semanal, medida pelo IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal) da FGV (Fundação Getulio Vargas), ficou estável na primeira semana deste mês, ao repetir a taxa de variação apurada na última divulgação, 0,53%.

O preço das roupas e dos alimentos ajudou nessa estabilidade. Nesta apuração, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação. Para cada uma destas classes de despesa, vale citar o comportamento dos itens:

- Habitação (1,03% para 0,91%),

- Alimentação (0,79% para 0,75%),

- Vestuário (-0,33% para -0,38%),

- Comunicação (0,21% para 0,14%) e

- Despesas Diversas (0,30% para 0,24%).

Nestas classes de despesa, os destaques partiram dos itens: empregados domésticos (0,49% para 0,31%), frutas (0,56% para -0,62%), roupas masculinas (0,61% para 0,06%), tarifa de telefone móvel (0,40% para 0,23%) e alimentos para animais domésticos (1,48% para 0,89%), respectivamente.

Em contrapartida, os grupos: Educação, Leitura e Recreação (-0,07% para 0,38%), Transportes (0,00% para 0,10%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,56% para 0,57%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.

Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: passagem aérea (-16,66% para 5,11%), automóvel novo (-0,40% para -0,14%) e plano e seguro de saúde (0,96% para 0,97%), respectivamente.

 

Fonte: R7