Batata e tomate ficam mais baratos, e inflação pelo IPC-S desacelera

Índice passou de 0,53% para 0,36% na segunda prévia de agosto.
Maior contribuição partiu do grupo alimentação (de 0,75% para 0,26%).

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) desacelerou para 0,36% na segunda prévia, depois de avançar 0,53% na semana anterior, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A maior contribuição partiu do grupo alimentação (de 0,75% para 0,26%), com destaque para o comportamento dos preços das hortaliças e legumes, cuja taxa passou de 0,88% para -4,20%.

 

Também registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: habitação (de 0,91% para 0,61%); educação, leitura e recreação (de 0,38% para 0,32%) e despesas diversas (de 0,24% para 0,07%).

Na contramão, avançaram os preços relativos a transportes (de 0,10% para 0,20%), saúde e cuidados pessoais (de 0,57% para 0,69%), vestuário (de -0,38% para -0,34%) e comunicação (de 0,14% para 0,22%).

Veja a variação de preços de alguns itens:
Tarifa de eletricidade residencial (de 3,48% para 1,89%)
Show musical (de 2,94% para 1,52%)
Alimentos para animais domésticos (de 0,89% para -0,50%)
Automóvel novo (de -0,14% para 0,35%)
Artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,47% para 1,23%)
Calçados (de -0,28% para -0,10%)
Mensalidade para TV por assinatura (de 0,84% para 1,75%).

 

Fonte:G1