Botijão de gás fica mais caro e pressiona inflação pelo IPC-S

Variação do índice subiu de 0,28% na 2ª para 0,35% na 3ª prévia do mês.
Alimentos e roupas também ficaram mais caros nessa apuração.

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor-Semanal (IPC-S) ganhou força da segunda para a terceira semana de setembro, passando de 0,28% para 0,35%, influenciada, principalmente, pelo aumento nos preços do botijão de gás.

Por isso, a maior contribuição entre os grupos de gastos analisados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) partiu de habitação (de 0,43% para 0,50%).

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos alimentação (de 0,18% para 0,23%), vestuário (de 0,13% para 0,56%), transportes (de 0,20% para 0,22%), educação, leitura e recreação (de -0,16% para 0,05%) e saúde e cuidados pessoais (de 0,64% para 0,66%).

Na contramão, registraram taxas menores os grupos: comunicação (de 0,34% para 0,29%) e despesas diversas (de 0,24% para 0,19%).

Veja a variação de preços de alguns itens:
Botijão: de 2,25% para 4,72%.
Pacotes de telefonia fixa e internet: de 0,28% para 0,09%
Alimentos para animais domésticos: de 1,89% para 1,20%
Hortaliças e legumes: de -9,42% para -8,01%
Roupas femininas: de 0,23% para 1,10%
Veículos: de -0,14% para -0,05%
Show musical: de -2,89% para -0,56%
Artigos de higiene e cuidado pessoal: de 0,87% para 1,19%.

 

Fonte: G1