Vendas nos supermercados caem 4,04% em agosto na comparação com 2014

A entidade iniciou o ano com uma projeção de alta das vendas anuais, mas agora prevê queda

As vendas reais dos supermercados brasileiros caíram 4,04% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano anterior, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Abras (Associação Brasileira de Supermercados ). O número já leva em conta a inflação do período medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo).

Na comparação com o mês imediatamente anterior, as vendas reais do setor caíram 0,29%. No acumulado do ano até agosto, a queda nas vendas chega a 0,69%.

Em valores nominais, as vendas do setor supermercadista apontam alta de 5,10% em agosto em relaçã ao mesmo mês de 2014 e de 7,68% no acumulado do ano.

Este mês, a Abras já havia revisado para baixo sua projeção de vendas do setor para este ano. A entidade espera agora uma com queda real de 0,30% em relação a 2014. A entidade iniciou o ano com uma projeção de alta de 2% das vendas anuais, depois revisou a estimativa para 1% e, posteriormente, para expansão de 0,5%.

Em nota, o presidente da Abras, Fernando Yamada, afirmou que a expectativa é de melhora no ambiente de consumo com a chegada das festas de final de ano. "Estamos trabalhando junto com fornecedores para ativar o consumo, especialmente em vista da proximidade das festas de final de ano, que podem trazer melhores resultados, e também para adaptar nossas vendas e toda a logística de distribuição aos novos hábitos do consumidor, que está priorizando as compras de abastecimento da casa", afirmou o executivo.

Cesta

O preço da cesta de itens básicos nos supermercados brasileiros caiu 0,63% em agosto na comparação com o mês imediatamente anterior, de acordo com a Abrasmercado, cesta composta por 35 produtos de largo consumo pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa Abras.

O preço total da cesta saiu de R$ 414,40 em julho para R$ 411,40 em agosto. Já na comparação com agosto de 2014, o preço da cesta subiu 11,93%.

Entre as maiores altas do mês passado estão itens como pernil, que subiu 5,29% e queijo prato, com alta de 4,99%. Já as maiores quedas foram encabeçadas por batata, recuo de 16,58% e tomate, queda de 15,45%.

 

Fonte: R7