Dilma dá posse a 10 ministros na tarde desta segunda

O principal objetivo da reforma é assegurar a governabilidade, com a formação de uma nova base de apoio partidário no Congresso, a fim de o governo obter maioria parlamentar, evitar as derrotas que vinha sofrendo e conseguir a aprovação das matérias de seu interesse na Câmara e no Senado.

s a projetos da "pauta-bomba" pelo Congresso Nacional e o julgamento, pelo Tribunal de Contas da União (TCU), das contas do governo referentes a 2014.

Reforma ministerial

Com o novo arranjo do governo, a pasta de Assuntos Estratégicos foi extinta; Relações Institucionais, Secretaria Geral, Gabinete de Segurança Institucional, Micro e Pequena Empresa foram incorporadas ao novo ministério intitulado Secretaria de Governo; Pesca foi incorporada a Agricultura; Previdência e Trabalho se fundiram em um único ministério, assim como Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.

O principal objetivo da reforma é assegurar a governabilidade, com a formação de uma nova base de apoio partidário no Congresso, a fim de o governo obter maioria parlamentar, evitar as derrotas que vinha sofrendo e conseguir a aprovação das matérias de seu interesse na Câmara e no Senado.Além de anunciar os nomes dos novos ministros, a presidente apresentou medidas para enxugar a máquina administrativa. Segundo ela, são ações "temporárias", diante do período de crise econômica.

Entre as medidas, estão a extinção de 3 mil cargos comissionados, a eliminação de 30 secretarias ligadas a ministérios, o corte de até 20% nos gastos de custeio, além da imposição de limite de gastos com telefone, passagens e diárias aos ministérios.

 

Fonte: G1