Cesta básica está mais barata em Goiânia

O produto que teve a maior variação negativa foi o tomate, que teve redução no preço de 29,70%. O custo da cesta em Goiânia comprometeu 42,93% do salário mínimo líquido, aponta o Dieese

O custo da cesta básica em Goiânia caiu -2,96% em setembro em relação ao último mês. A Pesquisa da Cesta Básica de Alimentos foi divulgada nesta terça-feira (6) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Goiânia teve uma das quedas mais expressivas, atrás apenas de Belém (-4,56%), Fortaleza (-3,88%) e Recife (-3,50%). As altas foram registradas em Belo Horizonte (0,23%), Curitiba (0,44%), Rio de Janeiro (0,74%), Vitória (0,99%) e Florianópolis (2,77%).

Em Goiânia, a cesta básica custou R$ 320,69 em setembro. O resultado colocou a capital com a sétima mais barata entre as 18 cidades pesquisadas pelo Dieese. O produto que teve a maior variação negativa foi o tomate, que teve redução no preço de 29,70%. Outros preços também caíram, como o da banana prata (-6,37%), batata (-5,81%), óleo de soja (-1,94%), café em pó (-0,44%) e feijão carioca (-0,21%).

As altas foram registradas no leite integral in natura (1,44%), açúcar cristal (1,36%), farinha de trigo (1,18%), manteiga (0,76%), pão francês (0,63%), carne bovina (0,62%) e arroz agulhinha (0,42%).

Trabalho

De acordo com o Dieese, o trabalhador goianiense eu ganha um salário mínimo teve que cumprir 86 horas e 53 minutos de jornada de trabalho para aquisição da cesta básica. O número é menor do que o registrado em agosto, que foi de 89horas 32 minutos. Em setembro de 2014, o tempo de trabalho necessário para a aquisição da cesta foi de 85 horas e 04 minutos.

 

Em setembro, o custo da cesta em Goiânia comprometeu 42,93% do salário mínimo líquido, após os descontos previdenciários. Em agosto, o percentual exigido era de 44,24%. Em setembro de 2014, a parcela necessária para compra dos gêneros alimentícios correspondeu a 42,03%.(Foto: IDEME) 

 

Fonte: O Hoje