Empresas dificultam negociação e trabalhadores querem greve

Empresas dificultam negociação e trabalhadores querem greve

Aproveitando da crise econômica empresas da categoria de alimentação usam esse argumento como desculpas para não negociarem o aumento salarial dos trabalhadores.

Muitos empecilhos vêm sendo colocados na hora de avançarem nas negociações. Desculpas de diversos tipos são colocadas nas mesas de negociação travando o andamento do processo.

A exemplo de empresas que estão com as negociações paralisadas estão a Pepsico (MABEL), a Heinz, que sem uma boa política de negociação não quer ultrapassar os 75% do índice do INPC, o que é considerado muito pouco pela diretoria do STIAG, já que não cobre nem a inflação.

Com essas dificuldades nas negociações, os trabalhadores já ameaçam cruzar os braços e paralisar todas as atividades dentro dessas empresas até que o bom diálogo seja retomado e as negociações possam caminhar como sempre aconteceu nos últimos anos. Se isso não acontecer logo, em breve teremos greve.

Fonte: STIAG