Cenário de recessão e inflação em alta resultaram em ganho real de apenas 0,23% no ano passado

Trabalhadores têm menor reajuste salarial em 11 anos

O reajuste salarial médio obtido pelos trabalhadores em 2015, de 0,23% em termos reais, foi o menor desde 2004 (0,61%). Em 2014, o aumento real foi de 1,34%. Os dados são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e foram divulgados ontem, em São Paulo. "Em 2015, além de uma conjuntura econômica extremamente adversa com indicadores gerais muito negativos, tivemos um salto da inflação", explicou José Silvestre Prado de Oliveira, coordenador de Relações Sindicais do Dieese.

Para chegar ao número, o Dieese considerou os reajustes de 708 unidades de negociação da indústria, comércio e serviços. Os dados revelam que cerca de 52% dos reajustes salariais apresentaram ganhos, ficando acima da inflação medida pelo INPC (de 11,28%), enquanto 30% tiveram valor equivalente ao INPC e 18% ficaram abaixo. Do total de reajustes de 2015, 37,6% ficaram entre 0,01% e 1% acima do INPC. Desde 2004, segundo o Dieese, não se observava resultado tão desfavorável para os trabalhadores.

Naquele ano, cerca de 19% dos reajustes considerados ficaram abaixo do inflação, 26% tiveram valor igual e 55% resultaram em ganhos reais aos salários. Em 2014, 90,2% ficaram acima da inflação, 7,3% foram iguais e apenas 2,4% ficaram abaixo.

Silvestre observou que a maior parte das categorias que têm data-base entre janeiro e julho, conseguiram ganhos mais expressivos que as outras. "A situação piorou de metade do ano para a frente", disse, citando considerar a inflação a vilã, já que até junho ficou entre 8% e 8,5%; a partir de junho, saltou para quase 11%".

 

fonte: O Popular