A iniciativa visa buscar soluções rápidas e consensuais às disputas judiciais

Justiça Trabalhista faz mutirão de conciliação durante a semana

Começa hoje (13) a 2ª Semana Nacional da Conciliação Trabalhista. A inciativa do Conselho Superior da Justiça do Trabalho pretende mobilizar os 24 tribunais trabalhistas do país até sexta-feira (17) para buscar soluções rápidas e consensuais às disputas judiciais.

Em Goiás, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-GO) da 18ª Região está mobilizando magistrados e servidores para o mutirão de conciliação. As audiências serão realizadas no Fórum Trabalhista de Goiânia e também em todas as varas do trabalho do interior.

De acordo com o TRT-GO, a ideia é concentrar esforços para que o maior número de processos possível seja solucionado por meio da negociação entre as partes.

O presidente do Tribunal, desembargador Aldon Taglialegna, afirma que a solução negociada dos litígios trabalhistas é 'uma forma saudável e célere de pacificação dos conflitos entre empregado e empregador e ainda contribui para desafogar a Justiça do Trabalho'.

Já o coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania, juiz Israel Adourian, conta que a campanha deste ano quer mostrar que a conciliação nasce das próprias partes envolvidas.

"Nós estamos treinando os nossos servidores e juízes para o empoderamento das partes, para mostrarem que são elas que têm o poder de decidir e o Judiciário age como facilitador", afirmou.

Como participar

Partes e advogados interessados em participar podem inscrever seus processos até na semana da conciliação. Para isso, basta preencher o formulário disponível no site do TRT ou procurar a Vara do Trabalho onde tramita a ação.

Os interessados também poderão comparecer espontaneamente, durante o evento, na unidade onde tramita o processo, em 1º ou 2º graus. Nestes casos, não haverá agendamento e nem notificação, por isso a necessidade de as partes litigantes comparecerem, juntas, à unidade, no sentido de viabilizar a conciliação.

Empresas

O juiz Israel Adourian informou que grandes empresas já manifestaram de forma expressa que têm interesse em conciliar. Ente elas estão os bancos Itaú, do Brasil e Caixa Econômica Federal, a JBS, a BRF e a Oi. "Elas já confirmaram a participação e estão negociando a apresentação de propostas aos trabalhadores", adiantou.

Fonte: TRT