Em Goiás, número de trabalhadoras com o benefício saiu de 6,6 mil para 38,9 mil em um ano; no País, salto foi de 621%

Domésticas com FGTS crescem 484% em 1 ano

Um ano após a regulamentação da PEC das Domésticas, o número de empregadas com Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aumentou em mais de cinco vezes em Goiás. Passou de 6,6 mil em maio de 2015 para 38,9 mil no mesmo mês deste ano, um crescimento de 484,19%. No País, o salto foi ainda maior, representou 621% depois da obrigação da contribuição, que era opcional ao empregadores.

No Estado, o total arrecadado somou R$ 4,7 milhões em maio, o que representa crescimento de 573% em relação ao mesmo período do ano passado. Já o número de empregadores passou de 7,6 mil para 33,5 mil. "Para mim, é uma vitória enorme", comemora a doméstica Rosa Alves da Silva Fernandes, de 51 anos, sobre os direitos conquistados pelos trabalhadores e as perspectivas de futuro depois do benefício.

Para quem começou a trabalhar aos 8 anos, somente depois da regulamentação da lei ela passará a ter o benefício. "Para mim, é novidade como para tantas outras. A carteira já era assinada, mas não tínhamos todos os direitos em vigor ainda", pontua. "Todo trabalhador sonha com seus direitos, é uma conquista, mas há lacunas", defende a presidente da Federação Nacional das Empregadas Domésticas, Creuza Oliveira, sobre o fato de que para o FGTS o trabalhador doméstico precisa ter 15 meses de trabalho, enquanto para os outros trabalhadores esse prazo é de 12 meses.

Para o presidente do Instituto Doméstica Legal, Mario Avelino, mesmo com a crise econômica e com essas lacunas, houve aumento de cerca de 15% na formalização, o que mostra a conquista. "Como o FGTS era opcional, poucos optavam, mas a partir de outubro do ano passado veio o crescimento que era esperado", afirma.

 Fonte: O Popular