Indicador da CNI ficou acima de 50 pontos pela primeira vez em 28meses, mostrando empresários mais otimistas com a atividade econômica

Confiança da indústria na economia tem alta

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) subiu 4,2 pontos e alcançou 51,5 pontos em agosto. Com isso, após 28 meses, o indicador fica acima da linha divisória dos 50 pontos, mostrando que os empresários estão mais confiantes na recuperação da economia. Os dados foram divulgados pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta terça-feira, 16.

O indicador estava abaixo dos 50 pontos, o que mostra pouca confiança na economia, desde março de 2014 e, após abril, com o andamento do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff, começou a se recuperar.

As grandes empresas são as mais confiantes e registraram 53,1 pontos no indicador de agosto, ante 50,7 pontos das médias empresas e 48,9 pontos das pequenas, ligeiramente abaixo dos 50 pontos.

Na avaliação do presidente da CNI, Robson Andrade, a virada do Icei é um bom sinal. "Na medida em que as reformas sejam aprovadas, o processo de recuperação da economia deve se consolidar", avaliou.

Nessa linha, a indústria extrativa é a mais otimista. O segmento registrou 53,4 pontos no Icei de agosto, enquanto a da indústria da construção marcou 51,8 pontos. A indústria de transformação atingiu 49,6 pontos, mostrando que esse segmento ainda não está confiante.

Segundo a CNI, o Icei é importante porque antecipa tendências de desempenho da economia. "Empresários confiantes tendem a manter ou ampliar projetos de investimentos, o que aquece a atividade e estimula o crescimento econômico", disse a instituição. Para o índice, foram ouvidas 3.150 empresas de todo o País, das quais 1.236 são de pequeno porte, 1.198 são médias e 716 são de grande porte.

 

Fonte: Força Sindical