Analistas preveem inflação de 4,94% em 2017

Analistas preveem inflação de 4,94% em 2017.

Inflação

Analistas do mercado financeiro consultados pela pesquisa semanal Focus, feita pelo Banco Central (BC), preveem que a inflação do ano que vem vai ficar abaixo de 5%. A expectativa de 4,94% se aproxima cada vez mais do centro da meta do governo, de 4,5%. Por outro lado, o levantamento piorou mais uma vez a previsão para o desempenho da economia este ano e no próximo, para queda de 3,31% em 2016 e expansão de 1,20% em 2017.

Os analistas preveem no Focus divulgado hoje uma taxa de inflação para o ano que vem de 4,94%. Nas duas semanas anteriores, a previsão estava em 5%. O resultado está cada vez mais próximo do centro da meta de inflação, que é de 4,5%, com variação tolerada pelo BC de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Já para este ano, depois de sete reduções seguidas, o levantamento divulgado nesta segunda-feira pelo BC manteve inalterada a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 6,88%. Há duas semanas, a taxa ficou abaixo de 7% pela primeira vez desde 29 de abril.

Se o resultado de 2016 ficar de fato neste patamar, será a segunda vez seguida que a inflação encerrará o ano acima do teto da meta estabelecida pelo governo, que é de 4,5%, podendo variar dois pontos para cima ou para baixo - 0,5 ponto percentual a mais do que a margem de tolerância do ano que vem. Em 2015, a inflação ficou em 10,67%.

Na quarta-feira, o IBGE divulgará o IPCA de outubro. A expectativa do banco Bradesco é de uma taxa de 0,28%, acelerando frente ao 0,08% de setembro. Apesar disso, a expectativa é que os núcleos do índice de preços mantenham o ritmo de alta próximo ao do mês anterior.

Por outro lado, o desempenho da economia previsto para este ano voltou sofrer leve alteração para pior: a quinta seguida. Os analistas preveem um tombo de 3,31% no Produto Interno Bruto (PIB) em vez dos 3,30% da semana anterior. Para o ano que vem, a previsão foi piorada pela terceira vez consecutiva, passando de expansão de 1,21% para 1,20%.

JUROS

Os analistas mantiveram pela terceira semana seguida a expectativa para a taxa básica de juros, a Selic, neste ano em 13,50%. Já a projeção para 2017 ficou novamente em 10,75%.

Isso indica que os economistas de instituições financeiras mantiveram a expectativa de corte de 0,50 ponto percentual na taxa básica de juros na última reunião deste ano do BC, em 29 e 30 de novembro, porém, as instituições que mais acertam as projeções passaram a ver uma redução menor.

O Top-5, que inclui os economistas que mais acertam as previsões, estima agora um corte de 0,25 ponto, e não mais de 0,50 ponto, com a Selic terminando o ano a 13,75%.

Após reduzir a taxa básica de juros no mês passado de 14,25% ao ano a 14%, o BC adotou um tom mais duro em relação ao processo de corte dos juros básicos, ressaltando que é preciso ter "persistência maior" na sua política. Para 2017, o levantamento continua apontando a taxa a 10,75%, com o Top-5 mantendo a projeção em 11,25%.

A cotação do dólar frente ao real no fim deste ano foi mantida pela segunda semana seguida em R$ 3,20. Para dezembro de 2017, o câmbio foi reduzido de R$ 3,40 para R$ 3,39.

Fonte: oglobo.globo.com