Curiosidade

Os nomes dos meses


Tudo isto começou com o antigo calendário romano, criado, segundo as lendas, por Rómulo, cerca de 7 ou 8 séculos antes da Era de Cristo. A intenção era substituir os antigos calendários lunares, uma vez que os meses lunares faziam variar as datas das estações e das festividades religiosas, mesmo as pagãs, criando uma confusão em que ninguém se entendia.
Esse primeiro calendário romano tinha 10 meses, de 30 ou 31 dias, deixando fora do cômputo dois meses de inverno.

Os dias dos meses não eram numerados, como são hoje, mas sim contados em relação às calendas, nonas e idos, como pontos de referência. As calendas, já vimos que eram o primeiro dia de cada mês. As nonas eram o nono dia antes dos idos (divisão), e estes por sua vez, eram os dias da lua cheia, em que o mês se dividia em duas partes.
Para indicar uma determinada data, dizia-se "três dias antes das nonas de Setembro" ou "no quarto dia antes das calendas de Dezembro", etc. Parecer-nos-á hoje demasiado complicado, mas para os romanos, na altura, foi uma grande invenção para a contagem do tempo.

O ano começava em Março, que deve o seu nome ao deus Marte, Abril, Aprile, para cujo nome há duas explicações etimológicas, de Afrodite, o outro nome de Vénus, ou de aprire, o mês em que os botões das flores se abriam; Maio, do nome da deusa Maia, Junho, do deus Juno; Julho, que se chamou quintilis, por ser o quinto, foi baptizado depois em honra do imperador Júlio César; Agosto, chamou-se sextilis, por ser o sexto, e depois passou a honrar o imperador César Augusto.

Os restantes quatro, já vimos. Faltavam dois meses para completar o ciclo solar. Foram feitas várias experiências para intercalar esses dois meses, as quais não vou pormenorizar. Bastar-nos-á registar que acabaram por ficar após o décimo mês, Dezembro, e receberam os nomes de Janeiro (Januarius, do deus Janus) e Fevereiro (Februarius, de Februa, a "purificação", que se fazia no dia 15 desse mês).

Este mês de Fevereiro tinha apenas 28 dias, para completar e não exceder, o ano solar de 365 ¼ dias.Para isso foi decidido acrescentar um dia, de quatro em quatro anos. Foi escolhido o mês de Fevereiro, por ser o mais curto de todos eles.
Esse dia adicional seria uma repetição do dia 24 de Fevereiro, que nesse tempo se chamava "o sexto dia antes das calendas de Março". Portanto haveria dois "sextos dias antes das calendas de Março" e daí que em cada quatro anos havia um ano com duas vezes "sexto", ou seja "bissexto".

As idéias de simplificação e aperfeiçoamento vão surgindo a pouco e pouco.
Quando da numeração dos dias, que hoje seguimos universalmente, o dia acrescentado passou para o fim de Fevereiro, que em cada ano "bissexto", passou a ter 29 dias.
Por isso o meu colega da primeira classe, Piloto salvo erro se chamava, dizia que a "madrinha" dele tinha apenas 15 anos, por só fazer anos nos anos bissextos. Vantagem de nascer em 29 de Fevereiro.

Resta acrescentar que 15 de Março era o dia da posse dos novos cônsules. Por isso o ano começava em Março.

Quando esse ato público foi transferido para as calendas de Janeiro, passou este a ser o primeiro mês do ano e Março o terceiro.

Calendas de Janeiro é o dia que hoje designamos por 1 de Janeiro, que o "Borda de Água" (já há muita gente que não conhece o "Borda de Água", ou ainda se vende por ai?) o popular almanaque dos agricultores e não só, designa como "Dia da Circuncisão do Senhor". Isto porque, segundo a tradição, Jesus nasceu em 25 de Dezembro, e os varões judeus são circuncidados no oitavo dia depois do seu nascimento.

Fonte: Site Curiosidade 


Postado: quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Campanha Janeiro Branco.


15823173 1303924012999988 6203680831794739318 N

Depois do sucesso de iniciativas como Outubro Rosa e Novembro Azul, psicólogos e profissionais de outras áreas da saúde se unem na criação de uma campanha para chamar a atenção da população para a importância de cuidar da saúde mental. Trata-se da Campanha Janeiro Branco, idealizada pelo psicólogo mineiro Leonardo Abrahão em Uberlândia (MG).

Foi sancionada em 29 de dezembro de 2016 em Uberlândia, pelo prefeito Gilmar Machado, a Lei "Janeiro Branco", que insere no calendário oficial do Município o mês de conscientização à Saúde Mental. 

De acordo com o psicólogo Leonardo Abraão, idealizador do projeto, a ação representa um marco na luta da psicologia que busca uma melhor qualidade de vida dos pacientes

A proposta é difundir um conceito ampliado de Saúde Mental/Saúde Emocional, como um estado de equilíbrio sem o qual não é possível viver satisfatoriamente em sociedade.

O Mês de janeiro foi escolhido, pois, no início do ano as pessoas estão predispostas a pensar sobre as suas vidas em diversos aspectos, e a cor branca é uma sugestão para "desenhar novas possibilidades", afirmou o psicólogo.

Em sua 4ª edição, a campanha chama a atenção por ser reconhecida e admirada em vários municípios brasileiros através da internet. Leonardo Abrahão ressalta que antes mesmo de Uberlândia, o projeto foi aprovado em Campinas (SP) e outras já colocaram o projeto em pauta nas Câmaras Municipais. "São mais de 30 cidades envolvidas na ação, além de outras fora do Brasil, como Japão, Portugal e Estados Unidos", citou.

Durante todo o mês profissional da saúde estarão organizando a distribuição de fitas brancas, tirando dúvidas sobre saúde mental e a importância da Psicologia com entrega de panfletos explicativos sobre saúde emocional em escolas e empresas.

A proposta da campanha Janeiro Branco é buscar mostrar às pessoas que elas podem se comprometer com a construção de uma vida mais feliz para si mesma.

 

Fonte: Portal saúde no ar


Postado: terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Curiosidades Sobre o Natal.


Mangedoura

Origem do Natal e o significado da comemoração

O Natal é uma data em que comemoramos o nascimento de Jesus Cristo. Na antiguidade, o Natal era comemorado em várias datas diferentes, pois não se sabia com exatidão a data do nascimento de Jesus. Foi somente no século IV que o 25 de dezembro foi estabelecido como data oficial de comemoração. Na Roma Antiga, o 25 de dezembro era a data em que os romanos comemoravam o início do inverno. Portanto, acredita-se que haja uma relação deste fato com a oficialização da comemoração do Natal.

As antigas comemorações de Natal costumavam durar até 12 dias, pois este foi o tempo que levou para os três reis Magos chegarem até a cidade de Belém e entregarem os presentes (ouro, mirra e incenso) ao menino Jesus. Atualmente, as pessoas costumam montar as árvores e outras decorações natalinas no começo de dezembro e desmontá-las até 12 dias após o Natal.

Do ponto de vista cronológico, o Natal é uma data de grande importância para o Ocidente, pois marca o ano 1 da nossa História.

O Papai Noel : origem e tradição

Natal

Estudiosos afirmam que a figura do bom velhinho foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 d.C. O bispo, homem de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximas às chaminés das casas.

Foi transformado em santo (São Nicolau) pela Igreja Católica, após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele.

A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Nos Estados Unidos, ganhou o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal.

A roupa do Papai Noel 

Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura. Em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho. A roupa nas cores vermelha e branca, com cinto preto, criada por Nast foi apresentada na revista Harper's Weeklys neste mesmo ano.

Em 1931, uma campanha publicitária da Coca-Cola mostrou o Papai Noel com o mesmo figurino criado por Nast, que também eram as cores do refrigerante. A campanha publicitária fez um grande sucesso, ajudando a espalhar a nova imagem do Papai Noel pelo mundo.

A Árvore de Natal e o Presépio

Em quase todos os países do mundo, as pessoas montam árvores de Natal para decorar casas e outros ambientes. Em conjunto com as decorações natalinas, as árvores proporcionam um clima especial neste período.

Acredita-se que esta tradição começou em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero. Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que havia presenciado na floresta.

Esta tradição foi trazida para o continente americano por alguns alemães, que vieram morar na América durante o período colonial. No Brasil, país de maioria cristã, as árvores de Natal estão presentes em diversos lugares, pois, além de decorar, simbolizam alegria, paz e esperança.

O presépio também representa uma importante decoração natalina. Ele mostra o cenário do nascimento de Jesus, ou seja, uma manjedoura, os animais, os reis Magos e os pais do menino. Esta tradição de montar presépios teve início com São Francisco de Assis, no século XIII. As músicas de Natal também fazem parte desta linda festa.

FONTE: Portal sua Pesquisa


Postado: sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Campanha Dezembro Laranja


 Dezembro Laranja Blog1

Depois do Outubro Rosa e do Novembro Azul, o Dezembro Laranja chega para alertar sobre o tipo mais comum de câncer no Brasil, o câncer de pele.

A exposição ao sol de forma inadequada pode trazer inúmeros prejuízos à saúde, além de ser responsável pelo câncer de maior incidência no Brasil, o câncer da pele. Preocupada com os números alarmantes da doença no país, a SBD criou, em 1999, o Programa Nacional de Controle do Câncer da Pele (PNCCP), que engloba diversas ações de combate à doença e leva aos brasileiros informação, diagnóstico e tratamento de qualidade, tudo gratuitamente. Desde a implantação da Câncer da Pele, foram atendidas mais de 518 mil pessoas em todo o Brasil, sendo mais de 40 mil detectadas com a doença e encaminhadas para tratamento gratuito.

A iniciativa faz parte do Programa Nacional de Combate ao Câncer da Pele da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), que afirma que a maioria dos casos pode ser evitada com medidas simples de proteção solar: usar filtro, chapéu, boné e cuidar com o excesso de exposição ao sol e aos horários certos para isso. 

No entanto, dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostram que os brasileiros não se protegem adequadamente, contribuindo para a grande incidência da doença. São estimados 188.020 novos casos no país somente em 2014. Destes, 98.420 devem ocorrer em homens e 83.710 em mulheres. De todos os casos, 5.890 correspondem ao tipo mais agressivo do câncer, o melanoma.

 A radiação solar é cumulativa ao longo da vida e os primeiros 20 anos são responsáveis por 80% da radiação que o indivíduo recebe na vida. Percebe-se, então, a responsabilidade dos pais na prevenção do câncer da pele de seus filhos. - alerta o dermatologista Nilson Octávio Silva.

 

Hábitos simples para cuidar da pele

- Usar protetor solar todos os dias, em todas as áreas expostas do corpo;

- Evitar exposição ao sol no horário de pico (10h-16h);

- Usar boné e chapéu de aba larga para proteger o rosto;

- Observar o aparecimento de feridas que não cicatrizam, manchas escuras ou nódulos na pele, ou alterações em pintas (aumento, modificação da cor, coceira ou sangramento);

- Não usar o filtro ao longo da vida pode trazer outras consequências para a pele, como pintas e sardas.

Fonte: Clicrb


Postado: sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Como Surgiu o Novembro Azul


Novembro Azul

O movimento surgiu na Austrália, em 2003, denominado Movember, cujo nome tem origem na junção das palavras inglesa, moustache (bigode, em português) e november (novembro, em português), cujo objetivo é sensibilizar e conscientizar o público masculino em relação aos cuidados preventivos e à importância da realização dos exames periódicos relacionados ao câncer de próstata, tornando-se oficial o dia 17 de novembro como o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

Vários países adotaram a campanha e o Novembro Azul, em muitos deles, representa mais do que uma simples campanha de conscientização. Há reuniões entre os homens com o cultivo de bigodes - ao estilo Mario Bros-, símbolo da campanha, onde são debatidos, além do câncer de próstata, outras doenças como o câncer nos bagos, depressão masculina e o cultivo da saúde do homem, entre outros.

No Brasil, a campanha ganhou destaque em 2012, tornando-se referência na missão de orientar os homens a cuidarem melhor da saúde. O Novembro Azul foi criado no Brasil pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, que busca promover uma mudança de paradigmas em relação à ida do homem ao urologista e à realização do exame de toque. 

Em 2014, o Instituto realizou 2.200 ações em todo o Brasil, com a iluminação de pontos turísticos, como: Cristo Redentor, Congresso Nacional, Teatro Amazonas, Monumento às Bandeiras,  também logrou a adesão de celebridades, entre outras, Zico, Emerson Fittipaldi e Rubens Barrichello, ativações em estádios de futebol, corridas de rua e autódromos, além de palestras informativas, intervenções em eventos populares e pedágios nas estradas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Detecção Precoce de um Câncer compreende duas diferentes estratégias: uma destinada ao diagnóstico em pessoas que apresentam sinais iniciais da doença (diagnóstico precoce) e outra voltada para pessoas sem nenhum sintoma e aparentemente saudáveis (rastreamento).

A decisão do uso do rastreamento do Câncer de Próstata por meio da realização de exames de rotina (geralmente toque retal e dosagem de PSA) em homens sem sinais e sintomas sugestivos de câncer de próstata, como estratégia de saúde pública, deve se basear em evidências científicas de qualidade sobre possíveis benefícios e danos associados a essa intervenção.

Fonte:

. INCA

. SBU

. Agência Brasil

. Wikipedia

. Einstein Saúde - Hospital

. Revista Veja Abril
. Oncoguia 


Postado: sexta-feira, 4 de novembro de 2016

A História Do Horário De Verão


Quando Começou O Horário De Verão?

O horário de verão foi cogitado pela primeira vez em 1784, por Benjamin Franklin, um dos homens mais influentes da história política e científica dos Estados Unidos. Partindo da observação de que, durante parte do ano, nos meses de verão, o sol nascia antes que a maioria das pessoas se levantasse, ele concluiu que, se os relógios fossem adiantados, a luz do dia poderia ser mais bem aproveitada.

A idéia, na época, não chegou a sair do papel. Em 1907, na Inglaterra, um construtor chamado William Willett, membro da Sociedade Astronômica Real, deu início a uma campanha que propunha alterar os relógios no verão para reduzir o que classificava de "desperdício de luz diurna". Willett morreu em 1915, um ano antes de a Alemanha adotar sua tese e se tornar o primeiro país no mundo a implantar o horário de verão.

Já no Brasil, a história do horário de verão teve início na década de 30, pelas mãos do então presidente Getúlio Vargas: sua versão de estréia durou quase meio ano, vigorando de 3 de outubro de 1931 até 31 de março de 1932. Depois de 18 anos sem sua instituição, o horário de verão foi novamente adotado devido à queda do nível de água nos reservatórios das hidrelétricas, por volta de 1985/86. Após esse período, o horário de verão passou a ocorrer em todos os anos.

Desde 1985 o horário de verão é implantado na segunda quinzena de outubro. Em 2006, porém, ele foi adiado por três semanas, por causa do segundo turno das eleições, tendo início no dia 5 de novembro. O medo era que o horário de verão pudesse provocar problemas no sistema de funcionamento das urnas eletrônicas.

Para ser implantado, o horário de verão deve ser decretado pelo Presidente da República, fundamentado em informações encaminhadas pelo Ministério das Minas e Energia, que toma por base os estudos técnicos realizados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS, e indica quais as unidades da Federação serão abrangidas e o período de duração da medida.

Fonte: Site Como Tudo Funiona


Postado: sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Como surgiu o "Outubro Rosa"?


Outubro Rosa

O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.

A história do Outubro Rosa remonta à última década do século 20, quando o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, em 1990 e, desde então, promovida anualmente na cidade.

Em 1997, entidades das cidades de Yuba e Lodi nos Estados Unidos, começaram efetivamente a comemorar e fomentar ações voltadas a prevenção do câncer de mama, denominando como Outubro Rosa. Todas ações eram e são até hoje direcionadas a conscientização da prevenção pelo diagnóstico precoce. Para sensibilizar a população inicialmente as cidades se enfeitavam com os laços rosas, principalmente nos locais públicos, depois surgiram outras ações como corridas, desfile de modas com sobreviventes (de câncer de mama), partidas de boliche e etc.

A ação de iluminar de rosa monumentos, prédios públicos, pontes, teatros e etc. surgiu posteriormente, e não há uma informação oficial, de como, quando e onde foi efetuada a primeira iluminação. O importante é que foi uma forma prática para que o Outubro Rosa tivesse uma expansão cada vez mais abrangente para a população e que, principalmente, pudesse ser replicada em qualquer lugar, bastando apenas adequar a iluminação já existente. 

A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em em torno de tão nobre causa. Isso faz que a iluminação em rosa assuma importante papel, pois tornou-se uma leitura visual, compreendida em qualquer lugar no mundo.

A primeira iniciativa vista no Brasil em relação ao Outubro Rosa, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP. No dia 02 de outubro de 2002 quando foi comemorado os 70 Anos do Encerramento da Revolução, o monumento ficou iluminado de rosa "num período efêmero" como relembra o secretário da Sociedade Veteranos de 32 Mmdc , o Coronel PM (reformado) Mário Fonseca Ventura. 

Essa iniciativa foi de um grupo de mulheres simpatizantes com a causa do câncer de mama, que com o apoio de uma conceituada empresa européia de cosméticos iluminaram de rosa o Obelisco do Ibirapuera em alusão ao Outubro Rosa.

Fonte: http://outubrorosa.org.br/


Postado: terça-feira, 1 de novembro de 2016

Você sabe o que é Ergofobia?


Você Sabe O Que É Ergofobia?

Ergofobia, a palavra derivado do grego "ergon" significa trabalho e "phobos" significa medo.
Uma pequena parte das pessoas sofre com esse transtorno, um medo anormal e persistente de trabalhar ou encontrar/manter um emprego.

A Ergofobia é um medo verdadeiramente irracional, nem a pessoa que sofre consegue explicar direito como ela percebe o mercado de trabalho.

Tal fobia pode ser causada por diversos fatores, o mais potente deles pode ser a ansiedade. Quem sofre com o tipo de ansiedade generalizada tem chances de  desenvolver isso. Tal medo pode realmente ser uma combinação de outros medos, como por exemplo:

·         Medo de falhar em tarefas atribuídas que precisaram serem executadas;

·         Medo de não se socializar com as pessoas do ambiente de trabalho;

·         Medo de não ser capaz de conciliar a vida particular, social com a profissional;

Geralmente nesse caso a pessoa acredita que ela não vai dar conta de trabalhar, manter contato com a família e que irá aos poucos perder o círculo social, desequilibrar o relacionamento amoroso, que não vai conseguir mais desfrutar momentos de lazer.

Na maioria dos casos a pessoa que tem ergofobia, não são tímidas.

A origem do transtorno é psicológica, pode ser causada por um trauma em que algum momento a pessoa foi muito sobrecarregada por tarefas que talvez nem incluíam o emprego/trabalho em si.

Outra causa disso venha a ser o transtorno de agorafobia que é o medo de estar entra pessoas não muito conhecidas ou totalmente desconhecidas, assim como frequentar um lugar pela primeira vez.

Infelizmente a ergofobia pode destruir a vida financeira de uma pessoa que pode ser extremamente inteligente, assim como seus sonhos também podem ir por água abaixo, afinal todo mundo tem em mente um sonho profissional que pode surgir na adolescência ou no inicio da vida adulta e todos nós precisamos de dinheiro para viver e sobreviver.

O tratamento para qualquer ergofóbico deve ser feito com psiquiatria que vai conduzir o paciente à uma forma de aliviar tal medo que é considerado absurdo com ansiolíticos que são remédios para aliviar a ansiedade momentânea. Também um tratamento psicológico para entender e especular a causa disso é recomendável.

E por ultimo uma terapia comportamental que pode submeter o individuo a iniciar um trabalho voluntario esporádico como por exemplo, trabalhar 2 vezes por semana com uma carga horária que aos poucos pode ser aumentada.

Dessa forma quem sofre dessa fobia raríssima começa a ser mais confiante, aos poucos a ansiedade diminui pois o medo está sendo enfrentado em um ritmo lento e por fim a pessoa percebe que consegue administrar o trabalho com as demais atividades que envolvem nosso dia a dia.

Fonte: Site Trabalhando.com


Postado: segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Estudo aponta que usar roupas coloridas pode levar a aumentos salariais e promoções


Cores

O estudo foi realizado na Inglaterra, onde 20% dos trabalhadores evitam usar qualquer outra cor que não seja o preto, o branco ou o cinza. Apenas um em cada cinco profissionais britânicos entre 18 e 34 anos veste roupas brilhantes ou coloridas.

De acordo com a pesquisa, a razão da influência positiva das roupas coloridas é simples: usar mais cores garante a impressão de que os profissionais são mais confiantes e criativos. As roupas coloridas ajudam a construir uma imagem positiva.

A pesquisa sobre as cores das roupas foi realizada com 2.000 trabalhadores. Entre os participantes, uma em cada três pessoas disse que se sentia mais confiante vestindo roupas mais vibrantes e alegres.

O estudo foi conduzido pelo psicólogo de renome Sir Cary Cooper, professor de Psicologia Organizacional e Saúde na Manchester Business School. Ele disse que usar roupas de trabalho coloridas faz com que as pessoas sejam mais facilmente notadas.

Sir Cary também disse que as mulheres tendem a usar um toque a mais de cor para melhorar o seu humor. "A psicologia da cor tem sido muito utilizada no mundo dos negócios, mas só recentemente ela passou a ser aplicada pelos trabalhadores individuais para aumentar o poder de influência no trabalho".

Para alguns especialistas em recursos humanos é mais fácil vestir roupas coloridas se você trabalha em áreas como publicidade, relações públicas ou meios de comunicação, mas nem sempre é possível explorar as cores em ambientes como bancos e escritórios de advocacia, por exemplo.

Trabalhadores que atuam em setores e ambientes mais formais, é possível expressar-se através do uso de lenços coloridos ou acessórios.

Rebecca Alford, gerente de marketing da Case Station, um grande número de pessoas tem usado a moda, mesmo no local de trabalho, para fazer uma declaração real sobre quem elas são. Isso significa que você não precisa se vestir de uma forma maçante para ser respeitado profissionalmente.

Fonte: Telegraph


Postado: segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Como Surgiu As Paraolimpíadas?


Como surgiu as Paraolimpíadas?

O esporte adaptado para pessoas deficientes surgiu oficialmente no começo do século XX. As primeiras modalidades foram para portadores de deficiência auditiva, e logo depois, em 1920, atividades como atletismo e natação, para cegos. Passou a Segunda Guerra Mundial e muitos soldados voltaram para casa mutilados, a partir daí surgiu a necessidade de jogos também adaptados para deficientes físicos.

As primeiras modalidades surgiram na Inglaterra e nos Estados Unidos. Depois de um tempo, ganhou também a Itália. O sucesso dos jogos foi tão grande, que acabou se fortalecendo com o tempo, e fundando-se no mundo inteiro.

As Paraolimpíadas são disputadas a cada quatro anos, nos mesmos locais onde são realizados os jogos das Olimpíadas. Para que haja equilíbrio, são separadas 20 modalidades dividas para cada tipo de limitações. A cada ano, elas estão crescendo mais, e junto com a mídia, ganhando maior prestígio no mundo inteiro. Proporcionando assim, oportunidades únicas para aqueles que já são vencedores desde o início.

Fonte: Revista Época / Wikipédia

 


Postado: segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Como Surgiu o Mês de Setembro?


Setembro

Antigamente só existiam dez meses e Setembro era assim chamado por ser o sétimos deles. Posteriormente foram anexados mais dois meses, Julho em homenagem a Júlio César e Agosto em homenagem a Augusto, Imperadores de Roma.
Uma crença antiga diz que na Lua de Setembro estavam escondidas todas as coisas perdidas na Terra. Por isso diziam que quem olhasse para a Lua Crescente neste mês poderia pedir de volta algo que perdeu há muito tempo.

Fonte: Aventuras na História


Postado: segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Como surgiu o salário?


Salário

    Antes de a humanidade inventar a moeda, a remuneração do trabalho humano era feita com mercadorias, como carneiro, porco, sal e peles. A palavra salário, aliás, surgiu a partir da porção de sal que era dada como pagamento aos soldados na Roma antiga. Ao descobrir que o sal, além de ajudar na cicatrização, servia para conservar e dar sabor à comida, os romanos passaram a considerá-lo um alimento divino, uma dádiva de Salus, a deusa da saúde.

   A idéia de que o trabalho deveria ser remunerado era inexistente. Na Idade Média, os servos, em busca de proteção, cultivavam a terra dos nobres, recebendo em troca apenas a possibilidade de tirar dela seu sustento. Mais tarde, com a criação das corporações de ofício, trabalhadores livres vendiam no mercado os produtos que produziam. O salário como remuneração que o trabalhador recebe pelo tempo e esforço gastos na produção de bens e serviços surgiu só na segunda metade do século 14, época marcada pelo declínio do poder feudal e pelo desenvolvimento de fortes nações-estado.

   Com o capitalismo, tornou-se a forma predominante de pagamento da mão-de-obra. O trabalhador passa a ter poder de compra e muda-se o modo como é visto pelas outras camadas sociais, que não podem mais subestimá-lo ou ignorar seu valor

  Ao contrário dos escravos, os servos não eram propriedade de ninguém. O senhor latifundiário só podia vendê-los junto com as terras onde eles já trabalhavam.

Fonte: Super Interessante


Postado: segunda-feira, 12 de setembro de 2016