O QUE (NÃO) FAZER PARA CONSEGUIR UM EMPREGO

Especialistas em Recursos Humanos dão dicas para se dar bem em um processo seletivo.

Está aberta a melhor época do ano para procurar emprego. De acordo com especialistas, o primeiro trimestre costuma apresentar boas oportunidades para quem busca recolocação profissional ou uma posição melhor. Segundo dados da consultoria Manpower, empresa com especialistas em recrutamento profissional, as grandes empresas possuem maior expectativa de contratação nesse período.

Já que a época é promissora, o melhor é se adiantar às oportunidades. No entanto, a preparação do profissional vai muito além de cursos de capacitação e atualização. Certos comportamentos podem afastar de vez a chance de ocupar aquele tão sonhado cargo de chefia ou liderança. Veja a seguir dez dicas para evitá-los.

1)Crie uma impressão positiva na entrada

De acordo com a especialista em recursos humanos Dilze Percílio, a seleção começa na recepção, antes mesmo de o candidato conversar com o recrutador. "Apesar de não termos câmeras escondidas que monitoram o ambiente, as moças e rapazes da recepção sempre nos avisam como o candidato aguarda até ser chamado.

2)Cuidado com as indicações de padrinhos

Indicação é bom e todo gosta? Nem sempre. Indicar alguém é uma "faca de dois gumes", tanto para quem recomenda. Dilze revela que todo recrutador vai ficar com um pé atrás quando ouvir algo como "você sabe com quem está falando? Sou amigo do fulano ou do beltrano". Se, por um lado, alguém recebe a indicação, por outro tem alguém que recomenda. Em todo caso, ter boas e pertinentes indicações é uma excelente ferramenta profissional. É o famoso networking, a rede de contatos profissionais.

3)Mostre mais do que necessidade

Implorar pela vaga é outra atitude não recomendada. A dica é mostrar que a vaga tem o seu perfil e como você pode ser útil na empresa. Para isso, é fundamental saber quais são as reais demandas do cargo e resgatar a experiência que você tem.

4)Insistir não é um bom caminho

O nervosismo e a ansiedade do candidato na busca por um emprego são naturais. O fato é que, mesmo com a expectativa, ele precisa deixar a empresa trabalhar. A recomendação é segurar a onda e ter inteligência emocional.

5)Rede social é papo sério

Não tenha dúvida de que as empresas estão de olho nas redes sociais em todos os processos de seleção. Primeiramente, a investigação é para encontrar candidatos. Depois, os recrutadores checam se vale a pena ou não chamar a pessoa para a entrevista. Mas o papel mais importante das redes sociais é durante a seleção, momento em que as empresas verificam se os valores do candidato harmonizam com os dela.

6)Pense antes de digitar

Ainda sobre as redes sociais, Dilze adverte que os candidatos não devem entrar em polêmicas ou vestir a camisa de um personagem. A sua realidade na rede social precisa ser condizente com o seu estilo de vida.

Pior do que se envolver em polêmicas nas redes sociais é falar mal do chefe. Não fique detonando a empresa, o chefe e os colegas de trabalho, dando indiretas. Isso é feio e antiético.

7)Prefira as poses mais profissionais

O cuidado especial também vale para o whatsapp, inclusive na foto de perfil do aplicativo, a imagem do perfil deve representar exatamente quem a pessoa é.

8)Não faça currículos por atacado

Se você é daqueles que faz um currículo e sai distribuindo em várias empresas, dificilmente será convocado para uma entrevista. Cada empresa demanda uma necessidade e com currículos idênticos, é difícil destacar o diferencial para as diferentes vagas. Por isso, a recomendação das especialistas é que o currículo cumpra o papel dele: vender o candidato. É por meio daquelas folhas que o nome salta aos olhos do recrutador.

9)A receita para colocar no papel

Na opinião das recrutadoras, uma alta rotatividade na carteira de trabalho não é interessante. Por outro lado, deixar grandes espaços de tempo sem trabalhar também incomoda.

10)Fale menos, ouça mais

É comum que os processos seletivos sejam feitos tanto individualmente quanto em grupos. Se esse for o caso, não adianta ensaiar um personagem, porque a dinâmica desconstrói as máscaras. A dica é ser proativo. O candidato que conhece a empresa e o produto já sai na frente, não custa nada entrar no site da corporação, checar missão, visão e valores.

 

Fonte: revista LDVCA (ludovica)

Post a comment

Sorry, comments are closed